Violinos Capela

Rua de S. Martinho, nº 713 | 4500-054 Anta, Espinho 41°00'23.0"N 8°37'32.3"W

Descrição

A construção de violinos no concelho data de 1924 com o artista Domingos Capela e para uso próprio. Inicia com tanta arte e dedicação que o leva a ser conhecido mundialmente.

No ano de 1924, o jovem marceneiro Domingos Capela, natural da freguesia de Anta, concelho de Espinho, consertou o violino do músico italiano Nicolino Milano que actuava num dos casinos da terra. A perfeição demonstrada no trabalho foi tão evidente que Milano entregou-lhe mais sete violinos para consertar. 

Os seus primeiros violinos foram construídos em madeira de plátano. Em 1931, o músico italiano voltou a Espinho e, depois de constatar o trabalho do artesão, propôs-lhe um emprego na casa Hill de Londres, que Domingos Capela veio a recusar por motivos de ordem familiar. 
Na cidade do Porto, conheceu a violoncelista Guilhermina Suggia, que o convidou para trabalhar no conservatório de Música do Porto a consertar instrumentos de arco. A partir daqui nunca mais deixou de construir instrumentos de arco, violas e guitarras, trabalhando na sua oficina situada perto do Largo da Igreja de Anta. 

Na década de 60, Capela participa em concursos internacionais onde alcança lugares de honra.
Como artista escreveu uma das páginas brilhantes da história dos grandes construtores de violinos, onde figura o nome de Espinho.

Faleceu em 1976, mas os violinos continuaram a ser solicitados, agora, ao seu filho, António Ferreira Capela, que vive nesta freguesia que lhe foi berço. Apaixonado pela arte do seu pai, que é sua também, já deu provas mais que evidentes do seu real valor reconhecido internacionalmente.

O seu filho António Capela foi o único que seguiu a arte do pai e com um enorme sucesso internacional. Estudou em Paris e Mirecourt e também em Itália, na cidade de Cremona, com bolsas da Fundação Calouste Gulbenkian. Os seus estudos permitiram-lhe aperfeiçoar a técnica de construção de violinos. 

Em 1963 participou no concurso de Liége, Bélgica, onde ganhou o primeiro prémio na categoria de sonoridade e o quarto na categoria "luthier". No ano de 1967, concorrendo com dois violinos, participou num concurso em Poznan, na Polónia, obtendo um 2.º e um 4.º prémio. O seu maior êxito concretizou-se em 1972, novamente em Poznan, onde concorreu com quatro violinos, alcançando os quatro primeiros lugares e as maiores pontuações de sonoridade e trabalho. Como júri, têm participado em diversos concursos internacionais. 
A Câmara Municipal de Espinho concedeu-lhe a Medalha de Prata de Mérito Artístico e, em 1991, a Presidência do Conselho de Ministros, condecorou-o com a Medalha de Mérito Cultural, de valor artístico nacional e internacional. É fundador e vice-presidente da Associação Europeia de Construtores de Violinos e Arcos.

Seguindo as pisadas do avô e do pai, Joaquim Capela, construiu o seu primeiro violino aos 13 anos e, pouco depois, participou no seu primeiro concurso internacional. Têm alcançado vários prémios em concursos realizados na Itália, Polónia, Alemanha, Bulgária, e Japão, mantendo uma tradição familiar que já vai na terceira geração. 

Características

  • A Câmara Municipal de Espinho concedeu-lhe a Medalha de Prata de Mérito Artístico e, em 1991, a Presidência do Conselho de Ministros condecorou-o com a Medalha de Mérito Cultural, de valor artístico nacional e internacional. 
  • É fundador e vice-presidente da Associação Europeia de Construtores de Violinos e Arcos.

Contactos

Luthier António Capela (pai)
Luthier Joaquim António Capela (filho)

 Rua de São Martinho, 713 | 4500-054 Anta, Espinho
 +351 227 340 658