Arte Xávega

Rua Bairro da Marinha | 4500-068 Silvalde 40°59'52.9"N 8°38'48.3"W

Descrição

A arte de arrastar, Xávega ou Xávena, utiliza-se nesta praia.

A rede é constituída por um saco de malha mais fina, onde se aprisiona o peixe. O barco entra no mar, deixando ficar em terra a ponta de um cabo e, quando estiver a 3 ou 4 km da costa, é lançada a rede.

Após esta operação, os pescadores voltam para terra, trazendo outro cabo de mão da barca. Juntam os dois cabos nas cordas e puxam com juntas de bois ou tratores, assemelhando-se esta a trabalho agrícola, se der azo à imaginação.

Ao chegar a rede a terra, o peixe é separado e disposto em pequenos lotes para ser leiloado, normalmente acompanhado do praguejar inofensivo das nossas vareiras. Este espetáculo pitoresco da venda do peixe é feito a lanços e de tal maneira apressado que só o leiloeiro e as vareiras o entendem.

Partem para a rua as nossas mulheres, percorrendo a cidade de canastra à cabeça e andar elegante, apregoando com cantoria…

Assista a este espetáculo ao vivo e  visite a exposição permanente que contempla a coleção da Arte Xávega, patente no Museu Municipal de Espinho.

Características

Para os pescadores desta Arte, há duas épocas no ano:
  • de novembro a março, altura em que os homens ficam em terra a preparar as redes com a sua própria técnica e se dedicam a outras atividades, como agricultura, construção civil e outros tipos de pesca;
  • de abril a outubro, quando se juntam cerca de 15 homens, alguns dos quais vão ao mar, enquanto outros ficam em terra a estender as redes para o próximo lanço, a escolher o peixe do lanço anterior, entre outras tarefas.